Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

 

Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

 

 

Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

Como nas entrevistas anteriores à diferentes mídias que atendeu desde o início da COVID-19, em que sempre pede que as pessoas evitem mais riscos de infecção, a excelente profissional, que é a diretora da Sociedade Brasileira de Cardiologia, agora, com o agravamento da situação em muitas localidades pelo Brasil afora, e preocupada com as perspectivas de futuro em nosso país, reforçou em momentos recorrentes da entrevista:

“Vivemos tempos de muitas incertezas. À partir de agora é urgente e decisivo que cada um de nós assuma responsabilidade individual com seu organismo, com sua saúde. Precisamos otimizar com urgência a promoção da saúde VIA PREVENÇÃO. Isso para que o cidadão venha a necessitar menos de assistência de médicos e hospitais. Caso contrário, nunca mais haverá leitos de UTI suficientes para atender a todos, independentemente de idade.”

(Obs.: - Anotação feita durante o transcurso da entrevista, de memória, se não com as palavras exatas, mas preservando o sentido do seríssimo ALERTA que mexe com o futuro de todos nós. Caso queira, confira a entrevista aqui:  

E em tempos de pandemia (uma corrida contra o tempo e contra a ação mortal de um inimigo invisível...tic tac tic tac tic tac...tic...) a minha abordagem é sem receio de ferir o código de boas maneiras na internet, o papo é reto, direto e sem frescura, rodeios ou firulas: - para assumiu a sua "responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO", sim, continue usando máscara, higienize suas mãos e ambientes (efeito toque). E, - sem esquecer de uma série de outras doenças ainda ameaçadoras que continuam ativas e atuantes também -, comece hoje mesmo a proteger-se de forma mais consistente e efetiva tomando, acima de tudo, a atitude de sua vida: https://brazil.4life.com/11019608).

Venha comigo, vamos pelo “começo do início”:

Afinal, o que a 4 Life lhe entrega, com experiência de mais de 20 anos e validado por patentes e certificações internacionais únicasexclusivas?

Fator de Transferência.

E o que é?

Como disse, são completamente únicos num auxíllio vital ao sistema imunológico de modo a reconhecerresponder e recordar ao mesmo tempo que o capacita e reforça com a informação necessária para manter o bem-estar adequado. A linha de produtos 4Life Transfer Factor oferecem tudo o que você precisa para reforçar em definitivo o seu sistema imunológico. 

Se está tendo um primeiro contato/informação sobre os fatores de transferência procure gravar bem a função dos 4 "R`s" dos TF's de 4 Life.

É isso que os Fatores de Transferência fazem. Por você e os seus:

Reconhecer

Os Fatores de Transferência ajudam suas células imunológicas a identificar as ameaças de uma forma mais rápida e eficaz.

Responder

Os Fatores de transferência ajudam a acelerar a reação do seu sistema imunológico perante um problema em seu organismo assim que o identifique..

Recordar

Os Fatores de transferência ajudam a reforçar a capacidade do sistema imunológico a lembrar como abordar cada problema que encontre, podendo assim,na próxima vez que se exponha a ele, saber exatamente o que deve fazer, como deve agir.

Resultados

Os produtos 4Life Transfer Factor reforçam a capacidade de ter uma vida ativa e feliz. E estes são resultados reais há mais de vinte anos pelo mundo.

 

Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

 

  1. Há os que vivem no passado. Não aceitam mudanças, querem manter a todo o custo o muito ou o pouco que conseguiram, e estão fechados à alternativas. São os que fazem manifestações,reivindicações. Por muito que custe aceitar, é preciso convir que o mundo mudou, e só piora sua situação quem tente continuar a remar contra a maré. São pessoas procuram um emprego, ou , se o têm, querem conservá-lo a todo o custo. O emprego representa "segurança insegura", ou seja, somente na cabeça dessas pessoas, pois, na verdade, já há muitos anos que ter um emprego nada tem a ver com ter segurança, tanto na iniciativa privada quanto no serviço público. E a tendência é mudar mais...
  2. Os que vivem o presente, no dia-a-dia procuram um trabalho. Esses sabem que precisam de trabalhar seja no que for para ter umrendimento. Já não têm ilusões quanto a viver com segurança e aprenderam a gerir a incerteza: não sabem se daqui a um mês terão algum dinheiro ou não porque tanto podem ter trabalho como não. Chamam-lhe "trabalho precário" e cada vez são mais as pessoas que dependem deste modo de vida. Vivem em modo independente, sem vínculos duradouros, mas de acordo com as regras da dependência: dependem de um empregador
  3. Também há quem viva no futuro. Já sabem que "segurança" é coisa do passado e também aprenderam que "ser independente" mas viver "dependente" é sinônimo de escravidão. São pessoas referidas atualmente como "novos empreendedores".

Esses novos empreendedores tomam uma atitude.

Em vez de só se queixarem da situação atual, da falta de trabalho e de emprego, procuram alternativas entre as maiores tendências. São elas:

  1. O trabalho "home office", ou o trabalho a partir de casa;
  2. Múltiplas fontes de renda: colocam seus ovos em diferentes tipos de cestos;
  3. Rendimentos residuais: faz-se o trabalho bem feito uma única vez e ganha-se todos os dias.

Com as novas tecnologias sempre com novidades, com oa internet, é cada vez mais simples selecionbar e construir múltiplas fontes de rendimento.

 

Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

 

Plano B ou Definitivo: - Torne-se um Empreendedor ou Empreendedora Independente 4 Life. Ou melhor ainda: Empreendedor  ou Empreendedora Independente 4 Life e Builderall. Assim você usa seu celular junto com ferramentas para vendas online que automatizam o seu negócio. Veja as vantagens. Se você não sofre do “mal da visão limitadora”, vai começar a resolver os seus problemas, aqui e agora: 

Acesse:Passo 1

Acesse Passo 2

Acesse Facebook 1

Acesse Facebook 2

 

Os insatisfeitos do terceiro tipo: os novos empreendedores digitais sabem que os seus futuros não dependem do governo, nem de um patrão, nem de empregados. Pretendem conseguir a liberdade que lhes dá a independência, são donos dos seus próprios horários e do seu próprio tempo.

Acharam uma forma de prosperar em tempos difíceis, como dizia Jim Rohn: "se não podes parar o vento, podes, sim, reorientar as velas de seu barco".

 

Sim, são tempos bem desafiadores estes.

Os desafios são enormes, os riscos fortes, alguns, mas a recompensa é algo que nunca esteve ao alcance assim das nossas mãos: - maior garantia de saúde, mais tempo livre e liberdade financeira.

Crises? São registradas sempre que se realizam ou acontecem mudanças, bruscas, impactantes, umas mais que outras, com ou sem aviso prévio.

É preciso saber que mudanças são essas, e, principalmente, como podemos nos conectar com elas para cuidar da prosperidade.

 

Assim disse a Cardiologista Ludhmila Abrahão Hajjar em entrevista “fora da curva” à CNN Brasil ontem: “...É preciso que cada um de nós assuma responsabilidade individual com saúde VIA PREVENÇÃO!”

 

 

Esse conteúdo foi publicado primeiro no Blog Arian Kohlbach - Prof. Katê