Parafraseando Hipócrates. Sem Hipocrisia.

Parafraseando Hipócrates. Sem Hipocrisia.

Créditos de imagem: Cínica da Vila

 

Sir William Osler, brilhante médico e historiador da medicina canadense, dizia que a contração da tuberculose relaciona-se mais com o que se passa na mente do enfermo do que com aquilo que ocorre em seus pulmões.

Estava repetindo Hipócrates, que considerava

 

“mais fácil saber que gênero de pessoa tem determinada doença

do que descobrir que gênero de doença tem determinada pessoa.”

 

 

Louis Pasteur e Claude Bernard, dois gigantes da biologia do século 19, polemizavam a respeito do fator mais importante na doença: - seria o “terreno” – o organismo humano – ou o germe?

 Em seus últimos momentos de vida,

Pasteur admitiu que Bernard tinha razão ao declarar que era o... “terreno”.

 

Não obstante a capacidade de percepção desses grandes vultos, a medicina ainda se concentra na... doença..., enveredando por uma orientação falsa.

 

Os médicos continuam procedendo como se fosse a doença que ataca as pessoas,

em vez de compreender que as pessoas é que contraem a doença,

por se tornarem suscetíveis a sua causa,

à qual todos nós estamos expostos.

 

Embora os médicos de primeira ordem saibam disso muito bem, a medicina em geral raramente estuda as

pessoas que não adoecem.

 

Poucos médicos procuram saber

como a atitude do paciente em relação à vida

modela a duração e a qualidade de vida.

 

É imensa a variedade de pacientes.

Alguns se recusam a alterar sua forma de viver para aumentar as possibilidades de cura.

Quando lhes dou a escolher entre operar e mudar de vida, oitenta por cento respondem: 

- “Opere. Só preciso procurar uma babá para a semana em que estiver no hospital.”

 

No extremo oposto estão aqueles que chamo de pacientes especiais, os sobreviventes.

Não aceitam a derrota – como certa mulher entregue aos meus cuidados, diabética, cega e com câncer.

Sobreviveu a todas as previsões estatísticas, e hoje passa a maior parte do tempo ao telefone encorajando outros pacientes.

 

Ela, e outros enfermos especiais, ensinaram-me que a mente pode afetar de modo singular o corpo.

E que a doença física não limita a capacidade de ... AMAR!

 

(Fonte: Bernie S. Siegel, Médico-Cirurgião em New Haven, Connecticut (EUA) e Professor da Universidade de Yale.

É autor de “Amor, Medicina e Milagres”, Ed. Best Seller)

 

 

Parafraseando Hipócrates. Sem Hipocrisia.

É mais fácil saber que gênero de pessoa tem determinada e manifesta a preferência pelos Transfer Factors de 4Life do que descobrir, por antecipação, que gênero e quantidade de benefícios a pessoa vai somando com os Fatores de Transferência.

Parafraseando Hipócrates. Sem Hipocrisia.

 Parafraseando Hipócrates. Sem Hipocrisia.

 

 

 

 

Inteligência

"Que na realidade a mente governa o corpo, apesar de a biologia e a medicina não prestarem atenção a isso, é o fato mais essencial que conhecemos sobre o processo da vida."

(Dr. Franz Alexander)